Sou um felino doméstico. Vagabundo ou não, ando por aí.
Adoro muros e telhados alheios.
Namoro de madrugada – a lua e a gata.
Faço poesia e muita prosa.
Sou cinzento na cor e colorido na alma.

03/06/2016

Sorte




Em seu mundo, nada de antropomorfismo. Não havia lata; não havia palha; não havia coelho. Havia somente um gato (de verdade) que não sorria. Em seu mundo: o chapeleiro – um cavalheiro negro. Mas em seu jardim (sem lagartas), o rosa e o branco se misturavam a chuva e ao vento -  pintando em seu céu azul um arco-íris.
Em seu mundo confuso sem norte
há a sorte
No mundo real de Alice, não há espelho. Nada de imaginário; nada de surreal.

Exceto Ele.

2 comentários:

✿ chica disse...

Lindo! O gato existe! abraços, lindo fds! chica

Ivone disse...

Ah, que sutileza, muito lindo!
Mais abraços!