Sou um felino doméstico. Vagabundo ou não, ando por aí.
Adoro muros e telhados alheios.
Namoro de madrugada – a lua e a gata.
Faço poesia e muita prosa.
Sou cinzento na cor e colorido na alma.

01/06/2016

Futuro




Ela era tosca, sombria, fria, feia, sem cor. Não sei se foram os meus olhos, mas que havia dentro dela, uma senhora enrugada, curvada, com as mãos trêmulas, mas FELIZ acenando pra mim... Ah! Isso tinha.

3 comentários:

✿ chica disse...

Que lindo e em todo lugar pode haver a felicidade! abraços, chica

Gracita disse...

Encontramos a beleza na imperfeição das formas e em meio a ela a felicidade
Belíssimo poema
Um abração

Ivone disse...

Que lindo! Amei ler, essa casinha da imagem é linda e onde há amor há beleza sem fim!
Abraços apertados!