Sou um felino doméstico. Vagabundo ou não, ando por aí.
Adoro muros e telhados alheios.
Namoro de madrugada – a lua e a gata.
Faço poesia e muita prosa.
Sou cinzento na cor e colorido na alma.

21/01/2016

Sonho

Resultado de imagem para voando

Deixou-se levar pela incerteza do vento
Rodopiou leve, lento... sem tempo pra chegar
Seguiu sem rumo, simplesmente foi
Girou e desceu
Girou e subiu
Mergulhou até o raso
Subiu como foguete
Planou como ave
E de repente pousou definitivamente

- Deixou de sonhar

5 comentários:

✿ chica disse...

Que lindo,bem intenso poema! Sonhar até o fim!! abração,chica e obrigadão pelos carinhos!

Dilmar Gomes disse...

Meu caro, filosófico, profundo e poético. Um abraço Tenhas um bom dia.

Ivone disse...

"Profundo e poético" como disse nosso amigo em comum, Dilmar, nossa, o pior foi o fim, deixar de sonhar!
Abraços!

Gracita disse...

Filosofou lindamente mas não há porque deixar de sonhar
A vida sem sonhos é insípida meu caro amigo
Um abraço

Ailime disse...

Boa noite Gato Cinzento,
Adorei o seus poemas!
Todos muito filosóficos!
Bj
Ailime