Sou um felino doméstico. Vagabundo ou não, ando por aí.
Adoro muros e telhados alheios.
Namoro de madrugada – a lua e a gata.
Faço poesia e muita prosa.
Sou cinzento na cor e colorido na alma.

11/01/2016

Movimento





Vento aventureiro
que
roça a nuca
que
empurra o corpo
que
arrepia a alma
que
deixa tudo solto
em
 movimento
mais vivo
 menos roto



11 comentários:

Gracita disse...

Que lindo poema Gato Cinzento
Esse vento guarda mistérios!!!!!
Um ótimo dia para você
Um abraço

Dilmar Gomes disse...

Muito bom, meu amigo. Um abraço. Tenhas um bom dia.

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Um das partes da natureza!
Abraço e bom ano!

Rui

Ivone disse...

Linda imagem associada a um lindo poetar sobre o vento, me fez lembrar de quando estive em cima de um lindo morro, lá em Chapada Diamantina, O Morro do Pai Inácio! Lá ventava tanto que parecia que eu ia voar, adorei!
Abraços Gato cinzento!

MARILENE disse...

Um movimento dançante, tem o vento. E nem tudo leva. Belos versos. Abraço.

Isa Sá disse...

Bonito poema.

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Diana Machado disse...

bela poesia :)
um beijinho e que tenhas um resto de boa semana :)

Aparecida Ramos disse...

Olá!! Boa tarde!! Parabéns pela poesia linda!!! Adorei receber sua visita e comentário, e mais:conhecer seu Blog! Abraço

Lourisvaldo Santana disse...

Palavras que soam tal qual música aos ouvidos.

Muito linda!

CÉU disse...

E foi esse vento que me trouxe, de novo, até aqui.
Canção de embalar, sua poesia, alindada pelo movimento complacente e vistoso das searas. Vi, observei, de novo, os olhos do "Gato Cinzento" e desta vez me pareceram ainda mais fuzilantes.

Bom domingo, gato! Um afago para ambos.

Teca M. Jorge disse...

Versos que embalam e acalmam...

Um beijo